terça-feira, 21 de outubro de 2014

GOTHAM - Episódio 4


por Antero Leivas
Mortandade desbragada!!! Bom episódio, boa série, mas me parece ainda não definida entre ser popular ou algo mais cult. Há momentos em q a casa noturna de Fish Mooney quase remonta ao Jack Caolho de Twin Peaks, noutras a trama se assemelha à mais pura HQ. Isso é bom? Sim, é legal, mas um terreno extremamente perigoso, juntar dois mundos, assim, do nada. Pode pôr a série a perder da noite pro dia ou torná-la um dos maiores clássicos da TV. Só o tempo... 

Excelente a atuação de Benjamin McKenzie, entre perplexo pela "sapatice" de Bárbara e adaptando-se aos poucos à realidade de seu mundo. Realidade suja, cruel e penetrante (expressão proposital devido a arma do criminoso da semana). Interessante, a utilização de Arkham como elemento político e tá mais do que na cara: Pinguim é o VILÃO da temporada. O prefeito seria do PSDB? RSSSSSS, tá, tô fora.

domingo, 12 de outubro de 2014

VLOG ALCATEIA #64 - O Dia das Crianças Velhas


Comemorando o Dia das Crianças, Eddie, Ricky, Renato e a convidada Iza Pinheiro relembram os desenhos de suas tenras infâncias. Cuidado, vai sair coisa desse baú que você nem sabia que existia!

Aproveita e coloca aí nos comentários seus desenhos da infância:


sábado, 11 de outubro de 2014

Os Dragões de Titânia, A Dama da Montanha

Por Nanael Soubaim

  Certo, fui lerdo e quem casou já está amamentando o rebento. Lamento, as coisas nunca saem como esperamos, pelo menos para mim.

  A Dama da Montanha é mais uma demonstração do enorme talento do amigo Renato Rodrigues para administrar muitos, mas muitos personagens ao mesmo tempo. Outro enorme talento dele é mostrar que ser louco não significa ser idiota, e vice versa.

  Este terceiro livro da saga mostra uma maturidade já consolidada da trama, prevista para ter quinze livros, por isso cada um pode ter tão poucas páginas, por conseqüência ter custos mais baixos de produção para seu autor. Sim, o número de páginas não é determinante, nada é determinante, mas são mais horas de funcionamento da impressora, mais horas de salário para os montadores, mais caminhões para carregar toda a edição, enfim. Por isso vai uma dica, se a história for muito longa, é melhor dividir em fascículos. Páginas encarecem.

  Já que toquei no assunto, este livro nos mostra justamente isso, que absolutamente nenhum fator isolado determina o desenrolar e o final de uma trama, o que vale também e principalmente para a vida real. O leitor atento e ávido por conteúdo pode se irritar com o jogo de "Wataru é bom! Wataru é mau! Wataru é bom! Wataru é mau!" que toma boa parte do livro, mas a persistência na leitura mostrará que o lorde manequim de funerária tem seus motivos para agir daquela forma. Aliás, todos têm seus motivos para suas esquisitices, como é na vida real e o nosso bom amigo mostra isso com maestria.

  Em dado momento parece que o Renato enlouqueceu, se deixou influenciar demais por séries estúpidas de televisão e colocou tudo a perder. Depois parece que ele ficou preso em um elevador jamaicano e saiu doidão directo para seu computador, depois ainda dá a entender que se arrependeu e tentou consertar tudo, mas gostou tanto do estrago que resolveu deixá-lo lá mesmo. Mas não é essa zorra que parece. como o Citröen 2CV, que parece ter sido feito de qualquer jeito, mas foi
cuidadosamente desenhado para o que se propunha. A trama também é assim, mas só nos últimos capítulos é que o leitor vai se dar conta de quase tudo o que aconteceu. Eu disse "QUASE" porque só nas últimas páginas é que muita coisa começa a fazer um débil sentido, porque os esqueletos só começarão a sair do armário no livro quatro, ainda em gestação.

  Uma característica deste volume é ter sido escrito a quatro mãos. Renato teve a colaboração de sua adorável esposa para escrever um dos capítulos, onde o leitor habitual vai pensar que o rivotril fez efeito contrário. É um manicômio! Dois personagens preciosos dos Dragões de Titânia pensam que estão entrando em um país, mas entram em um sanatório e caem justo na ala dos casos perdidos. Morre de dó das vaquinhas marrons, mas devora sem dó o porquinho selvagem... Sei... Bem, o facto é que nossos adoráveis e cômicos personagens não voltam sozinhos à Titânia, embora ninguém seja visto com eles. Só sei que o amor é lindo!

  Há ainda cenas que seriam proibidas para menores de dezesseis anos, em um ambiente psicodélico de fazer inveja aos anos setenta. Parece, mas ninguém aproveitou a viagem para se servir de cogumelos ardentes, A partir deste ponto, decepções e revelações acontecem, coisas que sozinhas renderiam um livro exclusivo. Esta fase ainda nos brinda com o fio da meada, o que realmente causou toda essa confusão, e mostra que eles estão apenas ganhando tempo, força e aliados para o confronto final.

  O que o livro nos ensina?

  Primeiro que jamais devemos confiar no óbvio. O que nos parece claro e inequívoco a ponto de xingarmos quem não enxergar o mesmo, pode ser uma ilusão, uma armadilha do ego que se apropriou da conclusão que lhe era mais confortável, como a recusa em acreditar que a figura tida como herói não passa de um canalha, ou vice versa.

  Mostra também que o mal mente sempre, que o mal é sempre covarde, que sempre se encolhe quando está em desvantagem. Que aquela frase usada por cidadãos revoltados para os bandidos, serve direitinho para ditadores. Nenhum deve ser admirado, ditadores mentem sempre.

  Mostra ainda o quanto são absurdamente cotidianas e até infantis, as motivações de eventos de grande envergadura, que uma dor de cotovelo pode ser o estopim de uma guerra, um casamento mal sucedido o motivo da busca pelo poder, enfim... Não existem motivações extraordinárias, transcendentes ou sobrenaturais para os vultos históricos, não são nem mesmo razoáveis em sua maioria. O leitor atento vai reconhecer esta e outras lições no decorrer do livro.

  Mostra finalmente, que não existe poder bom ou mau, bom ou mau é quem faz uso dele. E mesmo um poderoso mau pode se arrepender e se tornar bom, mas sem se tornar idiota, que ser bom E idiota é coisa da DC Comics.

  O que me causa estranheza é a semelhança da narrativa do Dom Renatonski com a minha, dá a impressão de que bebemos na mesma fonte, no Norte dos estados Unidos. Conversarei com ele mais tarde. O facto é que eu recomendo, rebebendo e redançando o livro. Exemplares desta edição ainda podem ser encontrados nas lojas de departamento e no site da Linhas Tortas (clicar aqui). Por agora eu aguardo o próximo hospício, digo, volume da saga de OS DRAGÕES DE TITÂNIA.

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

GOTHAM - Episódio 3


por Antero Leivas


Terceiro episódio de Gotham, ok. Entre os já apresentados, o mais fraco. O que não significa absoluta falta de qualidades. Já se viu que além dos vilões principais teremos sempre o "vilãozinho da semana" e não adianta chiar, a tendência é a bizarrice. É Gotham pô! Mas não deixa de ser original este "Homem dos balões" e eu DUVIDO que alguém controle o riso quando a velhinha com o cachorro olhar pra cima (rsss). 

Pinguim e Menina Gato, essa temporada é deles, Bruce se destacando cada vez mais, assim como Alfred e... Bárbara, sua caminhoneira!!!!

terça-feira, 7 de outubro de 2014

LEMBRA DE TWIN PEAKS?

Twin Peaks midget

por Renato Rodrigues
O seriado mais malucão dos anos 90 pode voltar a TV. Os produtores da série "Twin Peaks" de 1990 já confirmaram que farão 9 episódios inéditos em 2016, (25 anos depois do término do seriado).

Os roteiros se passarão no presente dando continuidade aos fatos apresentados na segunda temporada e não serão uma refilmagem da série original. Também não comentaram ainda sobre a participação de membros do elenco original — embora David Lynch, criador e diretor da série, já tenha confirmado que ele dirigirá essa temporada.

Twin Peaks era uma série policial/sobrenatural/doida varrida que estreou por aqui na Globo num horário meio inglório (Domingo depois do Fantástico) e tinha um enredo muito, mas muito maluco. Tentando resumir a parte que fazia sentido, a série trazia as investigações do agente do FBI Dale Cooper (Kyle MacLachlan) que vai à cidadezinha de Twin Peaks para solucionar o assassinato de Laura Palmer (Sheryl Lee).

E, numa época sem spoilers de internet, o mistério de "Quem matou Laura Palmer?" perdurou até o último momento mantendo o interesse pelo desfecho do crime.

Mas se me perguntarem do que eu lembro... é só do anão dançando e das maluquices que só "AS DORGAS" explicam. Saca aí o teaser do novo "Twin Peaks":

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

MERCÚRIO MUPPET


por Renato Rodrigues
Uma das polêmicas do último filme dos X-men foi o visual do Mercúrio, o velocista da Marvel. Mas uma coisa todos concordaram, suas cenas ficaram muito legais. Os efeitos de velocidade e sua personalidade arrogante ficaram perfeitos nos poucos minutos em que ele participou no filme (Que vergonha DC, a Marvel fez um Flash no cinema antes de vocês!). 

Enfim, lembra da cena em que ele dava uma coça nos guardas ao som de "Time In A Bottle" do Jim Croce? Se não lembra, reveja abaixo:



Pois é, um amigo no Facebook compartilhou essa mesma música num antigo clipe dos Muppets com uma tradução muito bem feita (PONTO PRA DUBLAGEM). Viaje aí no tempo com a gente:

terça-feira, 30 de setembro de 2014

VINHETINHAS SAUDOSAS DO CARTOON NETWORK



por Renato Rodrigues
Houve uma época em que os desenhos clássicos sumiram da TV em detrimento dos novos desenhos dos anos 80. Mas aí apareceu o Cartoon Network resgatando  do limbo muitas dessas lembranças com suas dublagens originais fazendo a alegria dos (na época) vintões e trintões. Eu voltava da faculdade e já ligava no Cartoon pra rever esses desenhos e gravei dezenas de VHS por medo disso desaparece de novo.

Além dos desenhos, toda a estética do canal era voltada para esse mundo animado, era uma MTV só de cartoons e isso se refletia nas sua vinhetas cheias de tombos e explosões. Era uma festa!

O colecionar Roosevelt Garcia fez uma compilação dessas vinhetas que hoje desapareceram, assim como muitos desses desenhos que nem no Tooncast passam mais. Se nunca viu nenhuma delas, aproveite aí!


terça-feira, 23 de setembro de 2014

ASSISTIDO



por Antero Leivas

CARA&$#@% só falando assim. BRI-LHAN-TE!!! Tensão, suspense e violência na medida CERTÍSSIMA. Elenco FODA, James Gordon e Bullock vão tocar O CAOS, já deu pra perceber. Sutis participações de Hera Venenosa, Charada e mais uma BELA Mulher Gato. Tá, um BB, mas bela. A vilã criada para a série é uma grata surpresa e o Pinguim mostra o BAITA vilão que ainda surgirá. o Mordomo Alfred está IMPECÁVEL e morcegos me mordam se esse moleque não é MESMO um infante Bruce Wayne. 

No mais, morte dos Wayne, um baita mistério, Barbara, a futura senhora Gordon portando segredos e é a Gotham que o cinema ainda não havia feito. OXALÁ, não errem a mão. De 1 a 10? 12. E meio.