segunda-feira, 26 de setembro de 2016

SUPER-HERÓIS BRASILEIROS - VELTA



Por Gabriel Maia
A estonteante heroína brasileira Velta é criação de Emir Ribeiro e surgiu em 1973 em um jornal escolar. O sucesso foi tanto que logo a voluptuosa moça ganhou páginas mais importante e de maior alcance.
Emir tinha 15 anos e já era remunerado com seu trabalho. Emir faria encontros de sua personagem com outros heróis e suas parcerias com artistas se tornariam famosas, inclusive trabalhando com Deodato Filho, mais tarde mundialmente conhecido como Mike Deodato.
Nos jornais o sucesso se deu até 1980. Durante a ditadura Emir costumava mandar um material mais ameno para a avaliação de quem faria a censura e depois ele colocava um material mais audacioso.

Origem da heroína
Em um dia de acampamento com uma turma de amigos a jovem Kátia Maria Farias Lins acabou encontrando um alienígena com problemas. A moça salvou a vida do alien que demonstrou sua gratidão sequestrando-a e usando-a como cobaia de testes com um amplificador mental. Segundo Emir o aparelho ampliaria o poder mental da cobaia de modo que qualquer desejo imaginado naqueles segundos de exposição se tornaria real. Kátia foi hipnotizada pelo alien que ordenou que a moça desejasse se transformar em uma versão de mulheres de um planeta inimigo. As mulheres eram loiras muito altas para a média terrestre. Mas Kátia tinha seus desejos profundos também, e desejava ter cabelos exageradamente longos e a fantasia de soltar rajadas de energia pelo corpo. E foi assim, da mescla de desejos da moça e do alienígena, que Velta surgiu.

Os leitores podem ficar intrigados com a transformação da moça já que até as roupas mudam, mas a declaração é de que ocorre uma transformação a nível molecular de algo pré existente. No caso ela muda o corpo em algo novo, e as roupas em outro tipo. Quando a transformação passa ela volta ao normal.
Kátia tem em sua família dois irmãos; Kelson e Karina, e o pai; Joel Serpa Lins, um homem extremamente conservador. A mãe de Kátia morreu atropelada quando ela tinha 9 anos. Outro personagem é o detetive Gilberto, namorado e sócio de escritório de investigações da heroína.
Enfim, Velta está no público brasileiro de HQs há décadas e faz sucesso tanto por suas histórias quanto pela sensualidade da personagem que atiça os desejos masculinos.
Uma de suas melhores aventuras conta com Velta investigando... o chupa-cabras? E o pior é que é uma boa história.

Eu tenho.

Espero que curta essa "mulher maravilha" brasileira também.

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

OS EMBALOS DE SÁBADO NA TV... Agora nos quadrinhos


por Renato Rodrigues
A duas grandes heroínas da TV dos anos 70 (e parte dos 80 aqui no Brasil pois reprisavam bastante) vão se unir numa história da DC. 
"Sinopse: Festeje como se estivesse em 1977 neste crossover que os fãs esperam há décadas, mas nunca imaginaram que fosse possível! Agora, Diance Prince conhece Jaime Sommers… ou melhor, a Mulher-Maravilha conhece a Mulher Biônica. Nesta minissérie cheia de ação, as duas titãs da televisão se unem para enfrentar um grupo ameaçador que está roubando armas mortais. Será que a CASTRA pode ser impedida antes que seus verdadeiros alvos sejam revelados e mortos? Com superpoderes, vantagens biônicas, vilões surpreendentes e um jato invisível, tudo é possível!"
Anunciada já há algum tempo, os detalhes deste novo crossover só foram divulgadas agora, mas no fim das contas tanto faz pois todo mundo quer mesmo é ver essas duas super-mulheres juntas na mesma aventura. 

Será que vai sair aqui? Será que o Superman vai encontrar o Homem de 6 Milhões de Dólares? E o Aquaman enfrentará o Homem do Fundo do mar? Será que a Mulher Biônica vai correr em câmera lenta? Será que vai aparecer avião invisível?

Aguardemos...

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

LIVRO SOBRE BATMAN E SUPERMAN NO CINEMA


por Renato Rodrigues

Falem bem ou falam mal, Super-Homem e Batman sempre tem visibilidade quando seus filmes são lançados. São dezenas de encarnações em desenhos na TV além de filmes e seriados nos últimos 75 anos. 

Pensando nisso, um declarado fã da dupla, o jornalista e crítico de cinema André Azenha decidiu contar suas sagas cinematográficas por trás das telas em um livro. 

Histórias: Batman e Superman no Cinema (formato 12 x 21 cm, 112 páginas, R$ 30,00) é um resgate dessas trajetórias e conduz o leitor a uma viagem no tempo. Mesclando jornalismo e crítica de cinema, o autor escreveu um livro para quem pretende se iniciar pela história dessas figuras tão emblemáticas da cultura pop a partir do Século 20.

Alô, paulistada sortuda, amanhã (22/09), a partir das 19 horas, acontece o lançamento do livro aí em São Paulo, no Instituto HQ (Avenida Pompeia, 2040), com bate-papo e entrada gratuita.

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

O NOVO HOMEM-ARANHA



Por Gabriel Maia
Demorou, mas finalmente repaginaram o Aranha!

Há anos Peter Parker vem carregando um pesado fardo; o de ser uma pessoa comum.
Sim, o personagem ganhou sua legião de fãs por muitos motivos e um deles era o de que apesar de ser um super-herói ele era um cara com problemas na vida pessoal, tinha contas a pagar, cuidava da família e tinha seus dilemas.

O problema de algo dar certo é exatamente esse; o de congelar de uma forma tola e não sair mais dali.
A ideia é; “um personagem como a gente”.
Perfeito.

Mas o Aranha está nessa há décadas e uma hora isso cansa para qualquer fã.
Por quê? Por dois motivos.

Primeiro; fã, que é fã, quer o melhor para o seu personagem, ainda que o charme dele fosse o de ter problemas tem inúmeras formas de se ver isso.

Segundo; se a ideia é a de que Peter Parker fosse uma pessoa como a gente ele deveria sim passar por mudanças na vida. Principalmente sendo ele quem é.

Peter era um jovem genial, sempre foi criativo e tão inteligente quanto Stark ou Richards, apenas indisciplinado.

Quando você vê que um jovem brilhante e de bom coração não tem nada além de problemas e traumas...qual é o atrativo disso? Superar os problemas? Sim, até concordo, mas chega um momento em que o leitor se pergunta; “mas é só problema? Quando será que temos alguma recompensa ou algum momento de subir na vida? Nunca?” O fã se espelha no personagem. O que esperar do fã do Aranha? Um fracassado bem intencionado?

Esse foi um dos pontos positivos do arco “Homem-aranha superior” onde Otto deu a Peter o merecido doutorado e construiu uma empresa, algo mínimo para alguém tão brilhante e notado até pelo antigo valentão Flash Thompson; “Parker era um gênio na escola, a gente achava que ele ia ser um Bill Gates, ou algo assim, mas olha pro cara...”.

Parker passou de ícone da Marvel a uma piada de mal gosto por não ter sido bem aproveitado.

Mas agora ele era dono de uma empresa, era um doutor e depois da saga “Aranhaverso” ele tinha tudo para se tornar uma das maiores lendas dos quadrinhos... mas o povo se perdeu de novo.

Ainda mantinham Peter como o crianção abobalhado que havia se tornado em vez de dar a ele a transformação que teve durante as sagas.
 

Enfim, o novo Homem-aranha agora era protegido das indústrias Parker, tem um traje tecnológico e uma série de brinquedos super legais como o novo (e melhorado) aranhamóvel.


Aí você me diz; “imitação do Batman”. Pode ser, mas quando você sabe se inspirar em algo para fazer com seu charme próprio a coisa muda completamente de figura.
Os lançadores de teia também sofreram modificações e agora o Aranha tem vários tipos diferentes de teias.
Peter ganhou o mundo espalhando sua empresa por vários países e a nova vida do Aranha começa em Xangai.

Novos lugares, nova vida, novos vilões, novas perspectivas, novas aventuras.
A direção tomada para o personagem foi fantástica, só esperamos que saibam mantê-la.
Fica a nossa torcida.

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

GUERRAS SECRETAS


Por Gabriel Maia
Não, não é sobre aquela do Beyonder.... também não é aquela em que Nick Fury usa heróis para uma missão secreta de conspiração... pois é, a Marvel usou o mesmo nome para três eventos diferentes.

Acho que gostaram demais do nome, ou não tiveram muita criatividade...sei lá.

Seja como for foram três eventos distintos e cada um com seu charme próprio. Desta vez a Marvel resolveu dar uma renovada no seu universo...ou universos.

Algumas empresas (não citarei nomes, não citarei nomes) ficaram muito boas em dar um reboot em todo o seu universo e a Marvel resolveu fazer algo parecido, mas sem zerar o passado. Como se desse uma vida nova aos personagens (e francamente... estava precisando).

A Marvel tem inúmeras edições especiais ou histórias novas onde gosta de contar o famoso “o que aconteceria se...” onde dá novas versões dos personagens clássicos em realidades alternativas, algo que casa bem com a intenção de explorar uma nova ideia sem agredir o personagem já consolidado, como na série “ultimate”, onde fizeram muitas idiotices, cometeram muitos e muitos erros e por fim criaram o novo Homem-aranha na pele de Miles Morales, um rapaz que ganhou um grande público e até expectativas para virar filme.

Também houveram versões dos personagens em futuros apocalípticos...



...assim como em séculos passados.


Enfim, criaram tantos novos universos, tantas novas ideias que se tornaram um terreno pouco explorado.
Diante da falta de ideias e de criatividade dos novos escritores para os arcos de histórias resolveram dar uma revoltada em tudo; destruir os universos.

O que?!!

Calma.

Resolveram colocar todos os universos alternativos em rota de colisão e jogar os personagens uns contra os outros no estilo; “só os melhores sobreviverão!”.


A ideia era colocar os universos em contato todos ao mesmo tempo e por fim criar um único universo; o battleworld.

A série já foi lançada no Brasil e estamos a pleno vapor.




quinta-feira, 8 de setembro de 2016

50 anos de JORNADA NAS ESTRELAS



por Renato Rodrigues

VOCÊ SABIA QUE... foi num dia 8 de Setembro de 1966, as 8:30 da noite, que a TV levou ao ar o primeiro episódio de JORNADA NAS ESTRELAS? Claro que sabia, você leu o título da matéria! 

Os seriados vem, os filmes vão, MAS a franquia STAR TREK ainda é considerada a maior série de ficção científica de todos os tempos, a primeira a comover legiões de fãs a se organizarem de várias formas (Ainda numa época muito pré-Internet), desde o pedido em massa pela renovação da série, até a reuniões e encontros que duram até hoje.

Nossos parabéns aos carismáticos personagens das franquias de Star Trek e a seu visionário criador Gene Roddenberry.


JORNADAS NA TV e no CINEMA
Star Trek The Original Series 1966-1969
A série apresentou a USS Enterprise e sua tripulação para o grande público. Virou desenho animado em 1973 e rendeu ainda 6 filmes para o cinema.

A Nova Geração 1987 - 1994
Se passa cerca de 70 anos após o fim das missões de Kirk. Foi a série mais duradoura dentre todas da saga e também ganhou filmes no cinema.

Deep Space Nine - 1993 - 1999
Indo na contramão das outras histórias da saga, colocava os protagonistas em uma estação espacial, com uma narrativa menos episódica que nas versões anteriores.

Voyager 1995 - 2001
Primeira vez que trazia uma mulher como capitã (Kate Mulgrew), a série aposta nos conflitos internos entre a tripulação da USS Voyager.

Enterprise 2001 - 2005
A trama se passava antes da tripulação de Kirk e cia., antes mesmo da fundação da Federação. Seu cancelamento encerrou 18 anos da franquia na televisão.

Star Trek (novos filmes) 2009, 2013 e 2016
J.J Abrams deu um novo gás a franquia trazendo um público jovem aos cinemas com essa aventura que reconta suas origens sem invalidar tudo o que já passou. Podem criticar o estilo frenético dessa nova visão, mas ele foi genial.

terça-feira, 6 de setembro de 2016

O universo Marvel em ruínas

RUÍNAS



Por Gabriel Maia
Há algum tempo a Marvel lançou uma história impactante em todos os leitores. Uma história chamada; “Ruínas”. Era um universo onde as maravilhas da Marvel teriam dado errado, ou simplesmente uma versão mais realista se elas acontecessem de verdade.
Conhecemos este novo universo sob a ótica de um simples repórter chamado Philip Sheldon que está investigando porque o mundo chegou a tal ponto.
A história começa com o jato dos vingadores sendo atingido por um míssil do exército matando todos a bordo. Sheldon explica; “estou escrevendo isso...porque tudo deu errado”.
Neste mundo o jovem Matt Murdock atingido por um caminhão de produtos radioativos não se torna o Demolidor, ele simplesmente morre.
O Pantera negra é preso como um agitador.
Alguns vingadores são executados, outros presos, e outros, como Wanda, negociam delatar seus amigos por imunidade.
Os Krees, a conhecida raça guerreira foi colocada em um campo de concentração onde ocorrem testes nucleares. A espécie que tentou invadir o planeta estava morrendo aos poucos.
O presidente?
Charles Xavier.
Os X-men? Não existem.
Scott Summers foi preso após destruir a casa dele matando toda a família e teve seus olhos destruídos para controlarem os raios óticos.


Mercúrio é visto em uma cela com braços e pernas destruídos, não se sabe se deceparam para poder prendê-lo ou se o corpo não aguentou a super velocidade.


O surfista prateado?
Foi visto despedaçado na atmosfera da Terra. A teoria era a de que enlouquecido por não precisar mais respirar ele tenha rasgado o próprio corpo expondo os pulmões.
Sem seu arauto principal Galactus morreu e seu corpo foi confundido com o de Deus matando todas as esperanças de algo melhor para os humanos.


Sheldon continua sua busca por respostas e encontra Rick Jones, um bêbado que tinha uma história para contar. Sobre um cientista chamado Bruce Banner que o salvou de uma explosão atômica de raios gama e foi atingido em cheio, mas em vez de se tornar uma das criaturas mais poderosas da Terra, Banner sobreviveu e se tornou uma monstruosa massa de câncer. Era mantido em uma área isolada para testes e análises. Codinome; Hulk.


Sheldon fica perdido em seus pensamentos e lembranças, uma delas a de Peter Parker, um jovem fotógrafo que trabalhava no mesmo jornal que ele e ao ser picado por uma aranha radioativa teve o corpo contaminado por um vírus mutante contagioso que desfigurou todo o seu corpo.


A narrativa é maravilhosa e a história é tenebrosa e sombria, o tipo que faria sucesso como filme de terror.

“Para cada beijo, uma bala no rosto.
Para cada ação uma reação.
Para cada acontecimento, existe, em potencial, um evento inverso, uma possibilidade exatamente oposta.

Se o mundo que você conhece é cheio de maravilhas, onde heróis e heroínas se alçam no ar como aves superpoderosas... esteja certo de que, a um passo em falso de distância existe um mundo de ... ruínas.”

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

CONHEÇA O CANAL CinEdu

Como os vagabundos aqui do Alcateia.com estão em recesso pré-Bienal e pré-revistas de fim de ano o nosso VLOG tá sumidaço. Então, vou trazer hoje o vídeo do amigo Miguel Eduardo falando dos  filmes de 2017 até agora, claro. Curta lá, siga o canal e seja feliz!